Como Organizar as Ideias

 

Estamos na Era da Informação, onde olhamos nos deparamos com alguma imagem, vídeo, texto ou áudio. Todos (ou quase todos) recheados de coisas interessantes. E os produtores desses conteúdos não são só gente da mídia, como jornalistas, atores, escritores, etc. São gente como a gente, que graças a internet estão podendo mostrar ao mundo suas ideias.

Isso é fantástico e ao mesmo tempo assustador. Pois como vamos ficar de fora de tudo isso, de consumir informações legais de graça ou com preço camarada e no conforto de nossas casas? Não podemos, então temos que ver tudo, abraçar o mundo e as oportunidades. Se isso é bom ou ruim, o que vai determinar é a quantidade de informações que estamos consumindo e o que elas estão fazendo com a nossa mente.

Explico: primeiro que todo excesso é ruim, até mesmo de água; segundo que todas essas novas informações nos levam a formar novas conexões mentais, criar novas ideias ou aplicar a que vimos. Vimos uma receita de bolo e logo linkamos com a de sorvete que vimos em um outro lugar e queremos correr fazer. Aí quando vamos procurar a receita para conferir os ingredientes vemos outras receitas, que parecem ser mais interessantes. Aí vem a dúvida, temos tantas opções para escolher que não agimos, não escolhemos nada. Perdemos tempo e energia bolando mentalmente todas as possibilidades, mas não fazemos nada pois ficamos perdidos.

E isso não se aplica somente ao que vamos comer. Inclusive, esse é o motivo de porque o Steve Jobs usava o mesmo estilo de roupa. Uma que era seu estilo, e outra era evitar ficar perdido entre tantas opções para escolher. O processo de decisão é bem amplo e em breve vou falar mais sobre isso por aqui, mas hoje eu queria ser mais específica com o excesso de ideias para trabalhos criativos.

Imagina uma pessoa com dons manuais. Ela está assistindo TV e vê uma toalha interessante na mesa, logo já sente vontade de fazer uma. Olha que tem alguns tecidos e resolve procurar mais ideias na internet. Joga no Google ou entra no Pinterest (perdição total para mim também! rs) e encontra mais e mais modelos. Vai para o centro comprar tecido e vê que também é possivel fazer um abajour, uma capa para sofá, encapar caderno. São muitas opções, e isso é maravilhoso, ainda mais porque ela tem os dons para fazer tudo isso. Só que o trabalho de criar um produto acaba ficando tão grande, tão cheio de possibilidades, que acaba não sendo feito.

Apesar de isso ser frustrante, é normal. E se chama paralisia decisória, onde a pessoa simplemente não faz nada, pois não consegue escolher o que fazer, como no exemplo do bolo. Temos ainda o meio termo disso, onde a pessoa consegue fazer várias coisas, mas como acaba sobrecarregada não termina nada, tem muitas iniciativas e poucas acabativas. Nesse exemplo ela poderia ter comprado todo o material, ter começado a toalha, o abajour e o caderno, mas não terminado nenhum. Também frustante e muitas pessoa acabam com um sentimento de incapacidade. Ela é capaz sim, mas de fazer uma coisa por vez, não tudo ao mesmo tempo. E usado um bom planejamento para isso, vamos ver como.

Mas, antes, veja este vídeo em que falo um pouco mais sobre o investimento de energia nas tarefas:

Colocando a ideia na agenda para que ela seja feita!

Continuemos no exemplo da artesã, ela decidiu fazer essas três peças novas. Já comprou o material e vai se planejar para as etapas.

Primeiro usando uma ferramenta (um caderno físico ou digital) para descarregar as ideias. Escrever tudo que viu e gostaria de fazer, guardar fotos de referência, tudo que ela julgar importante. Será a morada das ideias, assim elas não fogem e também não ficam ocupando lugar na sua cabeça.

Depois que está com a cabeça livre para a criatividade, vai focar na produção toalha. Separar o material e colocar as atividades na agenda. Dica importante: o que não está na agenda não é feito. Sempre vamos falar de agenda e planejamento por aqui, pois além de amplo é um assunto muito importante, vai mudar sua vida, vai por mim! 😉

 

Vamos entender, de uma vez por todas, o que é agenda!

Agenda: pode ser de papel ou digital, o que você gostar mais. E o que vamos anotar nela? Começamos pelos compromissos, como médicos e reuniões, que tem hora marcada. Depois vamos para atividade que precisam ser feita naquele dia mas não tem uma hora exata para acontecer, como ligar para um amigo pelo aniversário dele. E a grande maioria das pessoa para aqui. Mas para garantir que aquela sua ideia seja realmente começada e acabada, que você a conclua e fique feliz e realizada, vamos incluir os passos de execução na agenda.

Confira no vídeo mais dicas de como organizar sua agenda:

 

 

Sim, os passos!

Afinal, fazer uma toalha não é uma atividade que fica pronta na hora. Separe por exemplo a segunda a tarde para separar os tecidos e outros materiais, lavar, passar o que mais tiver que ser feito. Na quarta a tarefa será cortar o tecido no tamanho correto e alinhavar. Na quinta passar a maquina, e assim por diante. Claro que a pessoa que está acostumada a fazer isso sabe de todos os passos, o problema é que não coloca no seu planejamento. Aí fica parecendo uma atividade pequena, SÓ fazer a toalha, só que é uma atividade grande e requer mais tempo. Ter essa noção de tempo é fundamental, para não ficar sobrecarregada, com estresse e evitar urgências.

 

Esse planejamento serve para tudo, para organizar a rotina e afazeres de casa, para criar um curso ou apresentação, para fazer um relatório, para preparar suas mídias digitais, para estudar, para tudo!

 


Este texto foi escrito por Suzana Dias!

Artesã e criativa desde sempre, empreendedora desde muito cedo, consultora de organização pela OZ!, especialista em produtividade e gestão de tempo por Christian Barbosa, Coach de produtividade pelo IBC, estudiosa e pesquisadora de autoconhecimento, sua missão é ajudar na qualidade de vida, organização e produtividade das pessoas para que otimizem suas atividades, realizem seus projetos e sonhos e ainda tenham mais tempo para apreciar as coisas que realmente importam na vida.

Leave A Comment